Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
FERROVIAS

“Nosso objetivo é que em oito anos a participação do modo ferroviário supere 30%”, calcula ministro

:: :
  • Publicado: Sexta, 10 de Julho de 2020, 19h24
  • Última atualização em Quarta, 15 de Julho de 2020, 14h06

Previsão foi levantada, nesta sexta-feira (10), no Webinar nos Trilhos, promovido pela Revista Ferroviária

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, participou, nesta sexta-feira (10), do Webinar nos Trilhos, promovido pela Revista Ferroviária. Na ocasião, foram debatidos os planos e ações do Governo Federal para o setor, além dos processos de renovação antecipada dos contratos de concessão ferroviária e os novos projetos.

De acordo com o ministro, o plano do Ministério da Infraestrutura para as concessões das ferrovias é que o setor privado atue como protagonista. “A estratégia ferroviária pretende reequilibrar a matriz de transportes e dobrar a participação do modo ferroviário em oito anos, a partir dos investimentos planejados e plantados. Vamos trazer inovações para o marco regulatório de maneira que facilite a chegada do investimento privado”, afirmou. Atualmente, o modo ferroviário corresponde a 15% da matriz de transporte brasileira. O objetivo é chegar a 30% nos próximos anos.

Ainda no debate, Tarcísio cita que a finalidade do programa de concessões do MInfra é ajudar e melhorar a vida do cidadão. “A lógica é melhorar a eficiência do sistema de transportes, reduzindo os tempos de viagem, trazer mais segurança para as operações e diminuir o custo da operação” ressaltou.

Freitas ainda comentou que o Brasil terá uma malha muito mais otimizada e muito mais eficiente para atender a demanda necessária. “Nós temos uma responsabilidade com o brasileiro e vamos buscar o investimento onde ele estiver, assim conseguiremos gerar mais empregos. A grande alavanca será com renovações antecipadas, novas concessões e autorizações ferroviárias. Os investimentos podem chegar a R$ 40 bilhões, mas tem potencial de atingir R$ 100 bilhões.” destacou.

Assessoria Especial de Comunicação
Ministério da Infraestrutura

Fim do conteúdo da página